Brasil: manifestações

Para a maioria dos paulistanos era apenas mais uma manifestação. Nos ultimos anos as ruas viraram palco de protestos. Morando fora e com pouco acesso à Internet, vibrava em ver o povo tentando exercer sua cidadania. Torcia para que trouxessem mudanças e para que a repetição de seus pés no asfalto não trouxesse um tom de 'jornal diário' ou apenas mais um post no Facebook.

Um amigo fotógrafo ia fazer umas fotos do evento e combinou de nos encontrarmos por lá, assim podíamos nos ver após alguns anos. Adorei a ideia. Não apenas pela oportunidade de abraçar o amigo, mas pela possibilidade de clicar pelo menos uma manifestação desse tão delicado momento da política brasileira. Tendo a experiência de clicar uma tribo no interior da África, queria lembrar da experiência urbana.

Amo o fotojornalismo por causa disso. Estar no meio das pessoas. Estar no meio da história. Este sentimento de estar fazendo parte de algo que pode ser grande, pode mudar o rumo de pessoas, países, isso é algo fantástico. Não sei se os profissionais, após tantos dias clicando histórias que caem no esquecimento, conseguem manter a paixão. Mas as coisas estão acontecendo ali, não na TV, não numa matéria curta da Internet. Tudo está ali, diante de sua lente.

Em meio aos mais diversos grupos - CUT, UNE, Motoristas, Homossexuais, etc - e ao cheiro do churrasquinho, fui percebendo rostos cansados. O que será que ainda motiva cada um a protestar? O que esta pessoa vive em seu dia-a-dia a ponto de achar que pode, com sua voz, pés e bandeiras, mudar o rumo de uma nação?

São estas gentes, tão comuns e tão particulares, que sempre me motivam a fotografar.